segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Dia D de mobilização em defesa do SUAS é realizado em Mirador



Por Fátima Soares -Foi realizado em Mirador Dia D de  mobilização nacional em defesa do Sistema Único da Assistência Social (SUAS). Neste dia ‘D’, entidades que compõem a rede da assistência social manifestam oposição à proposta orçamentária encaminhada pelo Ministério do Planejamento à Câmara dos Deputados e que prevê cortes de investimentos em serviços, programas, projetos de Assistência social e benefícios destinados às pessoas idosas e com deficiência em 2018.

Em Mirador, município que também aderiu à campanha, estão sendo realizados atendimentos ao público nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e na sede da Secretaria Municipal de Assistência Social. As unidades estarão de portas abertas, unicamente, para receber o cidadão em uma manhã e tarde destinadas à orientação acerca da temática.

De acordo com a secretária municipal Aparecida Sá, o objetivo é alertar a comunidade local quanto aos riscos enfrentados pelo SUAS e que vão impactar, consequentemente, na gestão da política local da Assistência Social.
A cobrança pela recomposição do orçamento federal para o custeio do SUAS vem mobilizando diferentes agentes que atuam na rede da Assistência Social, a exemplo, o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social, os Colegiados Estaduais e Secretarias Municipais de Assistência Social, o Fórum Nacional de Secretários de Estado da Assistência Social (Fonseas), além, também, do Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS).



DataIlha/Difusora: Flávio Dino lidera com 53% contra 24,7% de Roseana Sarney




Por John Cutrim - Pesquisa divulgada na manhã desta segunda-feira (16) pela TV Difusora (SBT) no programa Bom Dia MA mostra que o governador Flávio Dino (PCdoB) continua liderando a disputa para o governo do estado. O comunista tem uma vantagem de mais de 20 pontos sobre a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB). O levantamento foi realizada pelo Instituto DataIlha, entre os dias 9 e 11 de outubro.



Se as eleições para o governo do Estado fossem hoje, Flávio Dino teria 53% dos votos, enquanto Roseana alcançaria 24,7%. Em seguida aparecem o deputado Eduardo Braide (4,4%), o senador Roberto Rocha (2,2%) e a ex-prefeita Maura Jorge (1,2%). Brancos e nulos somaram 9,1% e 5,5% não sabem ou não responderam.

Levando em consideração os votos válidos, Flávio Dino aparece com 62,06% contra 28,91% de Roseana Sarney.

Na pesquisa espontânea, Flávio Dino lidera com 38% das intenções de votos e Roseana Sarney 19,2%. Eduardo Braide surge com 3,3%, Roberto Rocha com 0,9% e Maura Jorge 0,6%. Brancos e nulos 7%. Não sabem ou não responderam 29,8%.

No item rejeição, Roseana lidera onde 45,5% disseram que não votariam nela de jeito nenhum. O governador Flávio Dino é rejeitado por 26% dos consultados.




O Instituto Data Ilha ouviu 2.128 pessoas em 38 cidades de todas as regiões do Estado. A margem de erro da pesquisa é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos com intervalos de confiança de 95%.

APROVAÇÃO


No quesito aprovação, o governo Flávio Dino é aprovado por 57,4% dos entrevistados, enquanto que 36,2% não aprovam sua gestão.



CREDIBILIDADE


O DataIlha foi o único instituto a cravar o resultado da última eleição para prefeito de São Luís. Reveja AQUI.



O conteúdo deste blog é livre e seus editores não têm ressalvas na reprodução do conteúdo em outros canais, desde que dados os devidos créditos.

Relatórios da CGU em Grajaú, Dom Pedro e Itapecuru revelam a verdadeira face de Roseana


do Blog do Garrone

Os relatórios da Controladoria Geral da União (CGU) sobre a aplicação dos R$ 35 milhões (R$ 79.475.126,63 em valores corrigidos com aplicação de juros, segundo o sistema de atualização de débitos do Tribunal de Contas da União) que Roseana Sarney recebeu do então ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, para combater os danos provocados pelas enchentes de 2009, revelam a verdadeira face do seu governo não exibida pelo Sistema Mirante de Comunicação e na recente propaganda do PMDB.
Realização de pagamentos indevidos mediante recebimento fictício de obras não realizadas, dispensa indevida de licitação e a pavimentação asfáltica de péssima qualidade, são algumas das marcas registradas pela fiscalização da CGU.
O ofício da ex-governadora ao amigo ministro Geddel Vieira Lima e o comprovante da     transferência de R$ 35 milhões, que a aponta como responsável pela execução das obras
A controladoria calcula que 50,25% dos recursos foram aplicados irregularmente, o que pode obrigar a população maranhense a devolver bem mais do que os R$ 18 milhões (corrigidos) propostos pelo parecer técnico do Ministério da Integração, ao reprovar parcialmente a prestação de contas do referido convênio.
Os registros fotográficos da fiscalização in loco (entre  novembro e dezembro de 2010) das obras emergenciais de pavimentação urbana dos municípios de Dom Pedro, Grajaú e Itapecuru nos dão um trágico exemplo do que foi o governo Roseana no trato do interesse público.
Em Dom Pedro, os fiscais constataram que as ruas Eng. Rui Mesquita, Jorge Fernandes, Manoel Oliveira Gomes, Lino Pires e Alzira de Oliveira não possuíam quaisquer sinais de que efetivamente tenham sido recuperadas/pavimentadas.
Segundo o relatório, a empresa Construimper Ltda recebeu indevidamente R$ 333.086,89 por ter realizado obras em apenas 21,25% da extensão e 19,76% da área prevista.
Já em Itapecuru Mirim, um dos municípios mais atingidos pelas cheias, a inspeção não encontrou indícios das intervenções contratadas (pavimentação, meio-fio e sarjeta) à Conscilter – Construção Civil em Geral, Proj. Insta. E Terraplanagem LTDA nas ruas Raimundo Álvaro Mendes, Benedito Buzar, Deputado José Bento Neves, Luís Ferraz e Felício Cassas; além de vias com obras parcialmente executadas.
Para completar, a CGU destaca uma característica do governo Roseana, que é a façanha de maquiar obras com material e serviços de má qualidade. E diz no relatório, que em todas as sete ruas que foram efetivamente pavimentadas, “constatou-se a fragilidade do revestimento asfáltico empregado devido à colocação de camada asfáltica muito mole, ocasionando a cessão do asfalto em vários trechos. Ademais, em alguns pontos ao longo da extensão das vias, verificamos que a espessura da camada de pavimentação é menor que a especificada no plano de trabalho (2,0 cm)”.
O resultado foi um prejuízo aos cofres públicos de R$ 187.855, 83, que devem ter ido pela sarjeta, a mesma que levou o dinheiro do hospital de Rosário e fez a alegria e a eleição de muita gente.
Mas foi na terra do gesso, que a cara de pau da ex-governadora se fez mais evidente ao contratar sem licitação a Ducol Engenharia, empresa do “primo” Henry Dualibe, para os serviços emergenciais de pavimentação em Grajaú.
Sem negar o sangue que corre nas veias, a Ducol recebeu à época R$ 120.617,58, sem que tenha colocado um centímetro sequer de asfalto, nem mesmo o sonrisal, nas ruas João Franco (bairro Edson Lobão- Vilinha); 15 de abril, 25 de dezembro e 12 de agosto, todas no bairro Expoagra.
Acrescentando as intervenções irregulares, por não constar do projeto aprovado pelo Ministério da Integração, das vias “Acesso a Universidade Aberta do Brasil” e “Vila Odebrecht”, o prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 197.606,20, corrigidos no presente em R$ 404.751,21.
O dano ainda pode ser maior devido a Ducol não ter cumprido o prazo legal de 180 dias para a conclusão das “obras”, a contar da ocorrência do desastre, como estabelece o art.24, IV, da Lei 8.666/1993 para a dispensa de licitação nos casos de emergência ou de calamidade pública.
De acordo com formulário de Avaliação de Danos – AVADAN, a data da ocorrência em Grajaú é de 02/05/2009, obrigando a conclusão das obras até 28 de outubro; o que só ocorreu em 30/03/2010.O atraso na execução dos serviços, segundo parecer técnico do governo Roseana para tentar justificar a dispensa de licitação no contrato com a Ducol, firmado em 30/09/2009, se deu em função de “alterações ocorridas no plano de trabalho, quando da certificação da real situação, por razões de recorrência de chuvas e dificuldade de contratação de empresa”.
Argumento que a CGU colocou por água abaixo, haja vista que os índices pluviométricos do Instituto Nacional de Meteorologia – INMET não indicam ter havido grandes chuvas na região entre os meses de junho e agosto do referente ano.

Se choveu foi na horta da Ducol, escolhida a dedo para abocanhar R$ 489.500,37 no contrato firmado com o governo da sua família, que nos dias de hoje equivalem a R$ 989.733,26.

domingo, 15 de outubro de 2017

Homem que matou a marretadas mãe e filha, se suicidiou hoje no Presídio de Codó


Francisco de Jesus Bezerra foi encontrado hoje (15), domingo, por volta das 18h morto em uma cela no Presídio de Codó.  Há uma semana ele matou com uma marreta mãe e filha. 
Preso em flagrante pelas mortes de Naia e Leurí, por causa de dívidas financeiras, o assassino é réu confesso estava no Presídio de Codó. Por causa das constantes ameaças que vinha recebendo, com medo de ser morto, ele pediu para ontem (14) para ser transferido á uma cela em que pudesse ficar sozinho. Teve o pedido atendido desde hoje (15) de manhã.
Para a surpresa dos agentes penitenciários, o corpo de Francisco Bezerra foi encontrado enforcado, com um lençol no pescoço. Ou seja, a polícia acredita que tenha acontecido um suicídio.
Por Luis Cardoso

Carreira de professor desperta cada vez menos o interesse de jovens

Valorização do professor deve começar na educação básica, diz o MEC Elza Fiuza/Arquivo/Agência Brasi
A falta de reconhecimento e de condições de trabalho tem atraído cada vez menos alunos para uma profissão que já esteve entre as mais valorizadas no país: a de professor. O Dia do Professor é hoje, mas há motivo para comemorar?

A cada 100 jovens que ingressam nos cursos de pedagogia e licenciatura no país, apenas 51 concluem o curso. Entre os que chegam ao final do curso, só 27 manifestam interesse em seguir carreira no magistério. As informações foram levantadas pelo movimento Todos Pela Educação, com base em dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

“Temos um apagão de professores, principalmente pela desvalorização. A gente já atrai pouco e, dos que vão para a formação inicial, poucos permanecem na carreira. E não se consegue ter uma área de atuação que consiga atrair os melhores alunos do ensino médio”, diz a presidente executiva do Todos Pela Educação, Priscila Cruz.

Na opinião de Priscila, entre as políticas de atratividade necessárias para aumentar o interesse na profissão está a melhoria dos salários. Segundo Priscila, atualmente o professor ganha metade do que os profissionais de outras áreas com ensino superior completo. “Realmente fica difícil atrair os melhores alunos do ensino médio para a carreira se a gente não conseguir fazer com que o salário melhore”, acrescenta.

Priscila destaca que é preciso melhorar também as condições de trabalho do professor. A proximidade dos jovens com a profissão faz com que eles vejam de perto a realidade dos professores, que nem sempre é atrativa. “O fato de o jovem verificar no seu dia a dia que os professores não são valorizados, e muitas vezes são atacados pelos próprios jovens, pelas famílias, pela sociedade, pelo governo, isso faz com que o jovem desista da profissão”, lamenta Priscila.

Desmotivação

Alguns estados pagam o piso salarial tanto para professor do nível médio quanto para o do nível superior”, diz o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, Heleno AraújoArquivo/Agência Brasil
Para o presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), Heleno Araújo, a falta de políticas que valorizem os profissionais da educação desmotiva os profissionais. Segundo Heleno, existe atualmente um processo de disputa muito grande com outras profissões, que oferecem melhor remuneração.

“Até os profissionais de pedagogia estão fugindo dessa profissão, porque os salários são diferentes, e vão fazer o seu trabalho em outros espaços, que têm uma valorização maior”.

Ele ressalta que, apesar de alguns avanços nos últimos anos no processo de valorização dos profissionais da educação, como a lei do piso nacional do magistério, ainda há dificuldades, como o descumprimento, em alguns estados e municípios, da legislação que define o mínimo a ser pago a profissionais em início de carreira, além do achatamento da carreira de professor. “Há estados que pagam o piso para o professor do nível médio e o mesmo valor para nível superior”, diz Heleno Araújo.

De acordo com a CNTE, em 2004 o salário dos professores no país representava cerca de 60% da média salarial de outras profissões – atualmente é 52% da média. “Este é o movimento inverso do Plano Nacional de Educação, que diz que, até 2020, o salário médio dos professores deve ser equiparado ao salário médio de outras profissões”, afirma.

Plano nacional

O Ministério da Educação (MEC) deve lançar nos próximos dias uma política nacional de formação de professores, já articulada à Base Nacional Comum Curricular, que vai focar na valorização dos profissionais. Segundo o MEC, está em estudo a ampliação das oportunidades das licenciaturas para a nova geração de docentes da educação básica e também para os que já estão em sala de aula.

Para o MEC, a valorização do professor é fundamental para a educação. “Existe a clareza de que o professor tem um papel central no desenvolvimento educacional de nossos estudantes e de que, para exercer essa profissão, ele precisa ser valorizado em todas as suas dimensões”, diz o ministério, em nota.


Fonte Agência Brasil

sábado, 14 de outubro de 2017

“A Globo é um demônio dentro das nossas casas”, denuncia bispo


Em um sermão recente, Dom Celso Antônio Marchiori, o bispo da Diocese de Apucarana (PR), conclamou católicos e evangélicos para se posicionarem contra a Rede Globo. Segundo o líder religioso, a emissora ataca constantemente a família e a religião cristã.

A mensagem, parte final de uma missa, tem se espalhado por grupos de Wahtsapp do país inteiro. “Nós, católicos, aliás, não deveríamos assistir mais a Rede Globo, porque a rede Globo é um demônio dentro das nossas casas com suas novelas e seus programas com aparência religiosa”, enfatizou, sendo aplaudido pelos fiéis presentes.

Marchior também citou a Bíblia em sua admoestação: “Cuidado, porque a Palavra de Deus diz, na primeira carta de Paulo aos Coríntios que o diabo tem poder de se transformar num anjo de luz para enganar, se possível até, os eleitos”.

Segundo ele, a Globo “é uma rede manipuladora que está nos conduzindo para o abismo, para a destruição”. Finalizou dizendo que já conversou com pastores sobre a necessidade dos cristãos se unirem contra a emissora que ataca a religião e a família.
Ouça:

Morte na prisão em Barra do Corda: o criminoso uso político de uma tragédia


                Francisco Ednei Lima Silva
Do blog do JM Cunha Santos

Há, ou pelo menos deveriam haver, limites humanitários para o exercício da atividade política. O respeito à dor alheia, por exemplo, à comoção de uma cidade diante de uma morte inesperada, o respeito ao desespero de familiares e amigos, precisam ser resguardados acima de qualquer interesse em querer atingir os adversários.
É deprimente a forma como deputados e a mídia sarneisista vem utilizando a morte incidental do comerciante Francisco Ednei Lima Silva, após sua prisão em virtude de um acidente de trânsito, para angariar ganhos políticos e fustigar o governo do Estado. E sabendo que Flávio Dino deles herdou o mais completo desastre na segurança pública e busca consertar com investimentos maciços, responsabilidade e determinação; sabendo a situação degradante em que deixaram todos as prisões, todos os prédios, todas as polícias, todas as delegacias.
O governo informa que a estrutura existente em Barra do Corda tem por finalidade garantir o banho de sol de presos provisórios e que em janeiro de 2015 o governo Flávio Dino encontrou 1.600 destes presos em delegacias, número reduzido a menos de 800, mesmo com o aumento de 50 % na detenção de suspeitos.
Querem apontar culpados por um crime que é mais deles que de qualquer um. Eles sucatearam o Sistema Estadual de Segurança Pública, pois mais ocupados estavam em reverter processos por corrupção que poderiam levar eles mesmos à cadeia.
Todos lembram. Todos sabem o perigo que foi viver no Maranhão, especialmente em São Luís, nos anos de 2013 e 2014, durante o governo Roseana Sarney. Na maioria dos casos, não havia nem onde prender ninguém, nem polícia suficiente para fazê-lo. E, embora criando 1400 novas vagas no sistema prisional nos últimos dois anos, é óbvio que o atual governo ainda não teve tempo de consertar tudo o que eles esbandalharam. Só por deter a verdadeira olimpíada de crimes ocorrente no Maranhão durante o governo Roseana Sarney, a Secretaria de Segurança Pública já merece ser aplaudida.
A polícia já instaurou inquérito para apurar a morte do comerciante, conforme informações, vítima de uma crise de hipertensão cuja origem ainda precisa ser esclarecida. Mas usar essa lamentável tragédia como arma contra adversários políticos, colocando a família enlutada no meio de um tiroteio verbal que só pode agravar a sua dor, é de uma impiedade e falta de caráter capaz de fazer corar um frade de pedra.
Meus pêsames à família de Francisco Edinei Lima Silva.
Meus pêsames ao Maranhão, pela existência de gente disposta a obter dividendos políticos tripudiando sobre a dor alheia.