terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Eleições 2018: Dez nomes dados como deputados federais eleitos


Das 18 vagas de federais no Maranhão, mais da metade deverá ser renovada na eleição do próximo ano; Nomes de peso estão no páreo.
Os cinco mais cotados: Jerry, Braide, Noleto, Cutrim e Josemar.
Das 513 cadeiras na Câmara Federal, 18 pertencem ao Estado do Maranhão. Dessas, mais da metade deverá ser renovada, de acordo com analistas ouvidos pelo Blog. Serão poucos, os que conseguirão renovar o assento.
Uma das razões para tanta renovação é o poderio político dos que pretendem disputar mandato de deputado federal. O blog fez uma relação dos dez favoritos, confira:
Nomes como Márcio Jerry (PCdoB), Eduardo Braide (PMN), Clayton Noleto (PCdoB), Gil Cutrim (PDT), Josemar de Maranhãozinho (PR), Simplicio Araújo (SD), Sebastião Madeira (PSDB), Adriano Sarney (PV), Hernando Macedo (PDT) e Bira do Pindaré (PSB, mas deve trocar de partido), são alguns dos novatos que deverão ser eleitos.
Dez em cada dez analistas políticos ouvidos pelo blog, colocam o secretário de Comunicação e Articulação Política do Estado, Márcio Jerry – presidente estadual do PCdoB – entre os mais votados na eleição do próximo ano. Principal alvo da oposição, Jerry é o homem de confiança do Governador Flávio Dino e, sem sombra de dúvida, é nome certo entre os eleitos, em 2018.
Surpresa na eleição municipal passada; Alcançou o cobiçado segundo turno na capital, de onde saiu com exitosos 243.591 votos obtidos. No próximo ano, precisa de menos da metade desses votos para conseguir se eleger rumo à Brasília. Com potencial eleitoral em São Luís, não será muito difícil Eduardo Braide (PMN) conseguir a vaga.
Secretário de Infraestrutura do Maranhão, Clayton Noleto é outro entre que os devem ser eleitos no próximo ano para a Câmara Federal. Líder do programa ‘Mais Asfalto’, o auxiliar de frente do governador Flávio Dino ganhou a simpatia da classe política. Não faltará quem se disponha apoiar a candidatura de Clayton assim que o nome for colocado na rua. Noleto faz parte dos planos do PCdoB que projeta eleger três nomes para federal em 2018.
O ex-prefeito de São José de Ribamar, Gil Cutrim, do PDT, é sem sombra de dúvida um nome que não poderia ficar de fora desta lista. Com bases eleitorais por todo o Maranhão, o irmão do deputado estadual Glaubert e filho do Conselheiro Edmar Cutrim, possui poderio político suficiente para consagra-se como um dos mais votados no próximo ano.
Deputado Estadual mais votado em 2014, com cerca de 100 mil votos, Josemar de Maranhãozinho – presidente do PR no Estado, pode até querer se valorizar cogitando candidatura ao Senado, mas a verdade é que disputará uma vaga na Câmara Federal – e não terá dificuldade para se eleger. Apesar de ter perdido diversos prefeitos na eleição municipal de 2016, o “moral da BR” conseguiu manter diversas prefeituras, e ainda, eleger a irmã em Zé Doca – cidade com mais de 50 mil habitantes.
Márcio Jerry, Eduardo Braide, Clayton Noleto, Gil Cutrim, Josemar de Maranhãozinho, Simplicio Araújo, Sebastião Madeira, Adriano Sarney, Hernando Macedo e Bira do Pindaré.
A lista segue: Simplicio, Madeira, Adriano, Hernando e Bira…
Secretário de Estado da Indústria e Comércio do governo do Maranhão, o ex-deputado Simplicio Araújo vem mais maduro para a disputa de 2018. Conseguiu nos últimos dois anos reforçar suas bases pelo interior do Maranhão, e sob o controle do partido Solidariedade, adquiriu novos e importantes aliados. Portanto, o retorno do ex-deputado federal à Câmara é só uma questão de tempo.
Ex-prefeito de Imperatriz, deputado federal por seguidos mandatos, Sebastião Madeira (PSDB) terá vida fácil na disputa por uma vaga. O tucano conhece a política maranhense a fundo, sobretudo, seu curral eleitoral. A estratégia de Madeira é sair eleito da Região Tocantina, e nos municípios das demais regiões, fazer o “pinga-pinga” para completar sua votação.
O neto do ex-presidente José Sarney deve herdar a cadeira do pai na Câmara baixa. Adriano Sarney, do PV, usará o prestígio do pai em Brasília para abocanhar a vaga. E não será difícil, a estrutura da família e o genitor ‘operando’ como ministro do Meio Ambiente, o herdeiro político do clã maranhense é dado como nome certo, e deve trocar a Assembleia Legislativa pela Câmara Federal a partir de 2019.
Apesar da derrota em Dom Pedro, cidade onde tentava à reeleição como prefeito, Hernando Marcedo – filho do empresário Dedé Macedo e irmão do deputado estadual Fábio Macedo – tem forte potencial para se eleger federal. Com bases eleitoral por todo o Maranhão, o político filiado ao PDT não encontrará muita dificuldade para buscar a vaga na Câmara Federal. Estrutura é o que não falta!
O atuante deputado estadual Bira do Pindaré é outro também cotado para mudar de assento político a partir de 2019. O parlamentar disputaria a prefeitura de São Luís, mas diante de problemas partidário foi barrado pelo seu próprio partido a pedido do senador Roberto Rocha. Projetando voos mais altos na política maranhense, Bira deve mudar de partido e conta com apoio político do Palácio dos Leões na disputa do próximo ano.
DomingosCosta

Nenhum comentário:

Postar um comentário