sexta-feira, 9 de junho de 2017

Maranhão corre o risco de ter a tarifa de energia mais alta do país

O Maranhão corre o risco de ter a tarifa de energia mais alta do país em função dos prováveis aumentos de energia por parte da Companhia Energética do Maranhão (Cemar). A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) irá realizar, no dia 14 (quarta-feira), em São Luís, uma audiência para tratar da Quarta Revisão Tarifária Periódica da Cemar.

Segundo a proposta a ser apresentada, o aumento chegará a 19,05% na conta dos consumidores residenciais da Cemar, sobre as tarifas já fixadas em abril. Para as indústrias, a proposta de reajuste é um pouco menor, e ainda abusiva: 17,82%.

Ainda de acordo com a proposta que será apresentada, as novas tarifas entrariam em vigor no dia 28 de agosto, e tornaria a tarifa residencial da Cemar a mais cara entre as concessionárias de todo o Brasil (R$ 0,561/KWh), ou seja, a conta de energia no Maranhão passaria a ser a mais cara do país.

Embora possua metodologia própria, essa revisão terminará por onerar a sociedade maranhense e amplia os já elevados lucros da concessionária. “Somente em 2016 a Cemar lucrou R$ 399 milhões, obtidos sobre uma receita de R$ 3,06 bilhões. Nos últimos cinco anos o lucro líquido da empresa acumula R$ 1,67 bilhão”, revelou o deputado Rubens Jr.

No evento, também serão definidos os indicadores de Duração Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (DEC) e Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FEC) da Cemar para o período 2018 a 2021.

Pela proposta a ser apresentada, seriam mantidos os valores de DEC. Mas de FEC seriam elevados, tornando os números maiores aos que já foram fixados para as demais concessionárias da Região Norte.
JohnCutrim




Nenhum comentário:

Postar um comentário