quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Funcionários da Rádio Capital não curtem filiação de Roberto Rocha ao PSDB porque estão lisos


Pelo visto, o senador Roberto Rocha, que ingressou no PSDB nesta quarta-feira (4), não contará com os votos de funcionários da Rádio Capital AM na aventura de ser candidato ao governo do Maranhão.
Enquanto Rocha, familiares, amigos e correligionários faziam a festa em Brasília, os funcionários da emissora do senador amargavam mais um dia de bolsos vazios. Já são 12 meses de salários atrasados e sem nenhuma satisfação por parte da direção. 
A folha de pagamento mensal giraria em torno de R$ 12 mil, pois somente seis operadores têm vínculo empregatício. Locutores apresentadores de programas são arrendatários de horários, ou seja, pagam para trabalhar na rádio do senador.
Além disso, não há pagamentos de férias vencidas, FGTS, e nem depósito do INSS. O senador está inscrito na dívida ativa da União por dever mais de R$ 165 mil à Previdência.
A solenidade de filiação do senador não foi transmitida pela emissora porque a Cemar cortou a energia dos estúdios, no Marcus Center, no Calhau, e do parque de transmissores, por conta de uma dívida que gira em torno de R$ 10 mil, conforme informações passadas ao blog.
Uma demonstração de desprezo para com o trabalhador, assalariado, que luta para manter a emissora no ar, mesmo com o descaso da gestão. É também uma mostra do quanto Rocha é um péssimo gestor. Quem não sabe administrar sua vida e seus negócios, não está preparado para gerir a coisa pública.
Tem funcionário afirmando que está preparado para fazer campanha contra Roberto Rocha e mostrar ao Maranhão o quanto ele é ruim para o trabalhador. Quem começa perdendo votos dentro de casa, caminha facilmente para a derrota.
Hoje foi um dia de mesa farta e prato cheio para Roberto Rocha e a família, em Brasília. Para os seus funcionários, foi mais um dia de barriga vazia.
Até quando?

Nenhum comentário:

Postar um comentário