segunda-feira, 27 de novembro de 2017

ROSEANA CONDICIONA CANDIDATURA A AMPLIAÇÃO DO CONSÓRCIO DE CANDIDATOS

“Laranjas” atuarão como batedores na campanha
A ex-governadora Roseana Sarney (PMDB), embora tenha lançado sua pré-candidatura ao governo do Estado, está impondo como condição para enfrentar o governador Flávio Dino em 2018 a ampliação do consórcio de candidatos. Com Ricardo Murad (PRP), Roberto Rocha (PSDB) e Maura Jorge (Podemos) já definidos, o grupo Sarney tenta convencer agora o deputado Eduardo Braide (PMN) a participar do “laranjal” da oligarquia.
Conforme especulam nos bastidores da sucessão estadual, Roseana quer Braide no jogo para nutrir alguma esperança de levar a eleição para o segundo turno e evitar os efeitos de uma derrota humilhante logo no primeiro, o que certamente representará o fim da oligarquia, que agoniza desde 2014 quando perdeu o comando do Estado e viu lideranças políticas que sempre estiveram no palanque do grupo Sarney mudar radicalmente de posição.
Pesquisas revelam que Eduardo Braide, que teve um bom desempenho na eleição para prefeito de São Luís em 2016, alcança setores da classe média e centros urbanos, onde o governador é considerado forte, o que poderia causar algum problema a Flávio Dino nesta faixa do eleitorado, o que poderia ajudar Roseana a levar a eleição para o segundo turno, já que ela ainda possui alguns seguidores nos grotões.
Para convencer Braide a aceitar participar do consórcio sarneysista, Roseana está oferecendo em troca a eleição da esposa do deputado, a médica Graziela, para deputada federal. Como Zequinha Sarney será candidato a senador, a promessa seria colocar todas as bases do ministro para a esposa de Braide, assim como Roseana se comprometeria em fortalecer o pedido junto às lideranças que ainda a apoiam.
Roseana quer formar seu time com cada “laranja” tendo papel específico na campanha. Ricardo Murad será o batedor com a missão de tentar desconstituir o governador Flávio Dino; Roberto Rocha, que sempre foi bem votado na Sul do Maranhão, evitar que Dino dispare na região onde os índices de rejeição de Roseana são elevadíssimos; Maura Jorge dividir votos dos evangélicos na região do Médio Mearim, já que sua liderança se restringe a Lago da Pedra. E Braide atrapalhar Dino em São Luís e outros centros urbanos.
As conversações avançam na medida que aproxima o fim do ano. Curiosamente, Braide, que disputaria um mandato de federal, passou a admitir a possibilidade de ser candidato ao  governo, portanto, não será nenhuma surpresa se sucumbir aos apelos da oligarquia para compor o “laranjal”.
JorgeVieira

Nenhum comentário:

Postar um comentário