quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

“Se não tem sobrenome Sarney/Murad/Lobão, não tem vez”, dispara Dino sobre veto de Sarney



O governador Flávio Dino utilizou as redes sociais para se manifestar sobre o veto de José Sarney ao nome do deputado federal Pedro Fernandes para o Ministério do Trabalho. O oligarca pediu ao presidente Michel Temer que não aceitasse a decisão do PTB nacional de transformar o parlamentar maranhense no comandante da pasta.

“Deplorável o veto do ex-senador Sarney ao deputado maranhense Pedro Fernandes. Se não tem sobrenome Sarney/Murad/Lobão, não tem vez”, disparou Dino. O próprio presidente do PTB nacional, Roberto Jefferson, admitiu que o deputado maranhense não foi aceito por Temer por causa de um pedido de Sarney, adversário do atual governador do Maranhão.

Ele revelou também que o veto se deu porque o oligarca “queria conversar, mas o Fernandes não quis conversar com o presidente Sarney sobre o Maranhão. Então, deu problema”. A escolha do nome de Pedro Fernandes para a pasta estava condicionada ao seu apoio a candidatura de Roseana nas próximas eleições, fato que ele não aceitou e por isso foi perseguido por Sarney.

“Essa é a ‘lei’ do coronelismo, que vamos revogar definitivamente neste ano”, garantiu Flávio Dino, revoltado com a oportunidade perdida pelo Maranhão de ter um ministro que dirigiria uma pasta com orçamento de cerca de R$ 9 bilhões.

Flávio Dino e Pedro Fernandes, inclusive, haviam assinado na última sexta-feira (30) um convênio com o Ministério do Trabalho e Emprego, para a realização de curso para formação de cuidador: Alimentação Saudável e Cuidados Necessários para a Pessoa Idosa.

É capaz de Sarney vetar também esse benefício para os idosos maranhenses. O objetivo dele não é ajudar o povo do estado, mas sim reconduzir, a qualquer custo, a sua filha ao trono perdido no Maranhão.
JohnCutrim

Nenhum comentário:

Postar um comentário