segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018

Desembargador esculacha advogado e manda OAB/MA submetê-lo a nova prova


O desembargador Jaime Ferreira de Araújo, do Tribunal de Justiça do Maranhão, concedeu uma decisão, em seu último plantão judiciário, que está gerando polêmica no meio jurídico.

Ao negar um pedido de habeas corpus, solicitado pelo advogado Valter Bonfim Teide Bezerra Filho em favor de Deuzimar Ferreira de Sousa, o magistrado determinou que o presidente da seccional da OAB no Maranhão, Thiago Diaz, submeta Valter Bonfim a uma nova prova de admissão para o exercício da atividade profissional.
E afirmou que até Rui Barbosa, se vivo fosse, teria vergonha de dizer que pertence a mesma categoria profissional do impetrante.
“Verificando que o advogado impetrante não detém conhecimentos mínimos para o exercício da profissão, determino que sejam impressas todas as peças do presente processo – inclusive esta decisão – a serem encaminhados ao Presidente da Seccional local da OAB, para que sua Excelência mande inscrevê-lo, ex ofício, na Escola da Advocacia para que seja submetido a uma nova prova daquela entidade. Não sendo ele aprovado na prova de que se trata, reúna sua Diretoria para decidir se cassam ou não a Carteira daquele que ajuíza ação temerária, que Rui Barbosa, se vivo fosse, teria vergonha de dizer que pertenceria à mesma categoria profissional deste impetrante”, afirmou Jaime Ferreira no seu despacho.
No pedido negado pelo desembargador, Valter Bonfim pleiteava a liberação de um veículo, pertencente a Deuzimar Ferreira, na Comarca de Buriticupu.
Até o momento, a OAB maranhense não se pronunciou sobre o caso.
GlaucioEriceira

Nenhum comentário:

Postar um comentário