quinta-feira, 29 de março de 2018

ABSURDO: Jovem homossexual se mata depois de fazer desabafo no Facebook e sua mãe VIBRA. VEJA AQUI



 O suicídio cometido por Yago Oliveira da cidade de Sapé, na Paraíba, tem estimulado discussões na internet em razão de um texto deixado pelo garoto em que critica a hipocrisia dos seus familiares.
Rejeitado pela família depois de assumir a homossexualidade, Yago descreve como era difícil conviver com a homofobia dos parentes. Ele publicou o relato no dia 18 de janeiro, dois meses antes de tirar a própria vida, na noite de 14 de março. Nos comentários do texto que viralizaram após sua morte, amigos confirmam o sofrimento do garoto e criticam a mãe da vítima.
Em outra publicação, Yago revela que sua vida havia virado um “inferno” e confessa que recebeu ameaças da sua mãe via WhatsApp.
Nas redes sociais, uma amiga sugere que Yago pode ter sido assassinado. “Gente, será que ele não foi assassinado e fizeram parecer suicídio? Porque ele fez esse desabafo e morreu tempos depois, não em seguida. Deveriam investigar essa família de doentes!”, escreveu.
Segundo o portal Mixturando, que teria entrevistado a mãe de Yago, a mulher não estaria sofrendo com a perda do filho: “O homem lá de cima atendeu meu pedido. Prefiro um filho morto do que vivo e pecador. Seria uma vergonha e desonra muito grande”.
Nesta semana, o Facebook transformou o perfil do jovem em um espaço de homenagem póstuma. Leia, abaixo, a íntegra do texto de Yago que viralizou:
“Sei que roupa suja se lava em casa, mas vamos lá
*Meu avô paterno, se casou com a minha avó quando ela tinha 12 anos de idade e ele 30, ela se urinou com medo na primeira noite que dormiu com ele.
*Minha avó traiu o meu avô e eles se separaram, minha avó largou todos os filhos pelas casas das irmãs e não criou nenhum deles, assim como meu avô que começou a tratar os filhos do primeiro casamento como estranhos sem nem cumprimentar quando passava por eles na rua.
*O irmão do meu avô teve uma filha esquizofrênica, a qual como ele mesmo disse uma vez “deu fim”, ninguém nunca soube o que aconteceu com ela.
*O meu tio que é pastor evangélico teve seis filhos, com três mulheres diferentes, dos seis ele só criou dois, pagava 50 reais de pensão para a primeira esposa criar os seus outros filhos e achava um absurdo esta quantia e vivia atrasando a pensão.
*Esse mesmo tio que é pastor fugiu da Paraíba perseguido por um membro da igreja, após esse membro descobrir que sua esposa estava tendo um caso com ele.
*Um outro tio abusava sexualmente da minha tia
*A minha tia dizia que tínhamos que chamar a empregada doméstica de “Maria” porque empregada doméstica não tem direito a nome, como ela mesmo disse uma vez.
*Minha avó deu de presente para o meu primo um diploma do ensino médio falsificado, depois dele ter reprovado milhares de vezes na quinta série e todos concordarem que meu primo era um caso perdido.
*Outra tia minha enterrou viva uma ninhada de oito cachorros que sua cadela deu porque simplesmente os cachorros nasceram tudo fêmea.
*Para o meu pai todo negro é marginal, todo serviço mal feito foi feito por negro e todas essas coisas racistas que já conhecemos…
Mas segundo todos esses que eu citei anteriormente a vergonha da família sou eu, pelo simples fato que sou gay, afinal como eles dizem, ser gay é pecado, mas ser racista, corrupto, assassino, estuprador, pedófilo e não criar os filhos tá de boa, o importante é você não ser gay.”
No dia 14 de Março Yago foi encontrado morto dentro do quarto enforcado. A polícia registrou como suicídio. Entre diversos comentários no Facebook do garoto, o comentário da mãe dele (dado com exclusividade ao portal Mixturando) foi o que mais surpreendeu a todos:
“O Homem lá de cima atendeu meu pedido, prefiro um filho morto do que vivo e pecador, seria uma eterna vergonha e uma desonra sem tamanho”
Fonte: CanalR1 , portalcm7.com e fabricioviana.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário