quarta-feira, 7 de março de 2018

Mais um alto oficial da PMMMA é preso por envolvimento em contrabando no Maranhão


A assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA) confirmou a informação de que o tenente coronel Antonio Eriverton Nunes Araújo foi preso em Belém-PA após pedido de prisão preventiva expedida pela Justiça Maranhense.
Ele é o nono policial a ser preso por suspeita de participação em uma quadrilha de contrabandistas de armas, cigarros e bebidas no Maranhão. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), o coronel foi comandante do 21º Batalhão de Polícia Militar entre junho de 2017 e o dia 31 de janeiro deste ano, quando o comando do batalhão foi entregue ao tenente coronel Harlan Nascimento.
Cerimônia de posse do tenente coronel Eriverton Nunes (à esquerda), no dia 8 de junho de 2017 (Foto: Divulgação/SSP-MA) Cerimônia de posse do tenente coronel Eriverton Nunes (à esquerda), no dia 8 de junho de 2017 (Foto: Divulgação/SSP-MA)
Cerimônia de posse do tenente coronel Eriverton Nunes (à esquerda), no dia 8 de junho de 2017 (Foto: Divulgação/SSP-MA)
Até o momento 16 pessoas foram presas por suspeita de participação de uma quadrilha que, segundo a SSP-MA, contrabandeada cigarros, bebidas e armas. Dentre essas pessoas, oito são policiais militares e um é policial civil. Dois galpões com as mercadorias já foram encontradas pela polícia.
A quadrillha foi descoberta em fevereiro deste ano durante uma operação policial que encontrou um porto clandestino localizado no Arraial, no Quebra Pote, em São Luís. O local serviria para descarregamento da mercadoria.
Dentre os presos, estão o major Luciano Rangel, que era subcomandante de um batalhão em São Luís. Rogério Souza Garcia – que já foi vice-prefeito de São Mateus – também está preso. O advogado Ricardo Jefferson Muniz Bello foi preso no dia 02 de março e tentou sair da prisão por meio de um Habeas Corpus que foi negado pelo desembargador Cléber Costa Carvalho.

No dia 3 de março, o coronel Reinaldo Elias Francalanci se entregou, prestou depoimento e saiu preso. No mesmo dia foram presos o soldado Gleydson da Silva e o tenente Aroud João Padilha Martins. O delegado Thiago Bardal – que foi superintendente de investigações criminais – também teve a prisão preventiva decretada e se entregou no dia 02 de março.
DjalmaRodrigues

Nenhum comentário:

Postar um comentário