sábado, 3 de março de 2018

Márcio Jerry também comenta rompimento de Zé Reinaldo com Flávio Dino




O secretário de Estado de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry comentou o rompimento do deputado federal José Reinaldo Tavares com o governador Flávio Dino. Ontem, na cidade de Imperatriz, Dino falou pela primeira vez sobre o assunto. (reveja aqui). Neste sábado (3), foi a vez de Jerry também se posicionar.

Abaixo, as considerações feitas por Márcio Jerry sobre o posicionamento de Zé Reinaldo.

1. Sobre Zé Reinaldo

a) temos ele em consideração, o respeitamos. Ele não teve a necessária paciência política para costurar a candidatura ao Senado no colégio de partidos que apoiam Flávio Dino, como o deputado Weverton fez; jamais foi dito que ele não poderia ser candidato.

b) Zé Reinaldo sequer consumou o destino partidário para a partir disso construir a candidatura;

c) política é processo coletivo. Zé Reinaldo ajudou Flávio Dino, sim; mas por Flávio Dino também foi ajudado, sim também. Lembremos a eleição dele em 2014 a federal. Mas não é disso que se trata, não é uma avaliação de quem ajudou quem, mas de leitura da conjuntura e dos projetos em disputa;

d) em 2010 Zé Reinaldo foi nosso candidato ao Senado, lembremos.

e) em 2006 Flávio Dino desembarcou de volta na política com muitos atributos biográficos, sólida referência e muitas relações políticas no MA. Teve apoio de Zé Reinaldo, como outros tiveram. Não foi o apoio de Zé Reinaldo que definiu a eleição, muito embora tenha ajudado.

2. Sobre pesquisas

a) Flávio Dino demonstra muita resiliência aos ataques a ele desferidos pelo aparato midiático da oligarquia desde janeiro de 2015. Não houve um dia de trégua;

b) aprovação elevada do governo e de intenções de votos fazem de Flávio Dino o favorito para as eleições. Some a isso outros fatores importantes que aqui não abordarei, mas existem e são positivamente fortes;

c) faltando sete meses para o pleito, os números são muito bons para Flávio Dino, a começar pela intenção espontânea e o percentual de fidelização;

Nenhum comentário:

Postar um comentário